Blogger Template by Blogcrowds

.


“Ao amanhecer do último século, um grupo de exploradores procuram um mundo pré-histórico, dirigido por ambição, desejos secretos, uma sede de aventura e buscando a última das histórias, eles são ajudados por uma beleza indomada. Encalhados num terra estranha, cada dia se torna uma procura desesperada, para sair deste Mundo Perdido.”



Quem aqui se lembra desta abertura tão tosca e hipnotizante? Pelo menos eu, um reles garoto na época (e que não mudou muito), amava as noites (e tardes) que passavam algum episódio deste seriado tão peculiar.
A série O Mundo Perdido foi com certeza uma de minhas mais loucas e fortes inspirações para ser fantasista, pois era uma grande salada de frutas, tendo dinossauros (falei que amo dinossauros e animais pré-históricos no geral?), magia, criaturas muito exóticas, viagens temporais, mistérios, etc.
Quem se preocupava com os efeitos especiais quando a bela Jennifer O'Dell aparecia? Quem, pelo amor de Zeus, ligava para algo ali ter algum sentido lógico, se a graça era a mistureba de coisas?
Eu nunca me importei.
 
Os personagens principais eram interessantes, sobretudo o Challenger, Roxton, Malone e, claro, a beleza selvagem e loira Veronica. O restante, para mim, era apenas figurante. Ah! O homem-lagarto era muito foda!
O mais legal: a trama era vagamente baseada num livro do grande Sir Arthur Conan Doyle, o criador de Sherlock Holmes!
Agora, após ver boa parte da série (incluindo o episódio surreal de tudo sendo tragado pelo tempo) e vi o filme (que achei até interessante, mas nada tão grandioso), quero ler o livro (pleonasmo?!).
Bem, um pequeno spoiler: na Saga Fábula, vai ter uma singela homenagem a este seriado e ao livro maravilhoso de um escritor francês que muito me influenciou.
Personagens marcantes, trama mirabolante, enredos nunca lineares, aventura, magia, história alternativa, tudo isso fez desta série uma maravilha televisiva para este que aqui escreve.
E para os manolos de plantão, uma imagem bem legal da musa selvagem.

4 Comments:

  1. Pamella Santos said...
    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
    OMG! Eu amo tanto essa série! Passava as tardes e noites sem perder UM episódio! *O* Adorava a Marguerite e sus ataques sem noção! E o Malone! E o professor...! *___* CARAMBA! Não sabia que era de um livro! Fiquei curiosa pra ler ele! *O*
    Celly Monteiro said...
    Eu assitia, e gostava. :D
    Alec Silva said...
    Eu sempre fui mais Veronica, o Professor, Marlone e Roxton. Era o melhor quarteto sa série.
    Estou louco para achar em DVD as temporadas completas.
    rs
    Rasa Produções said...
    Olá tudo bem...essa matéria já tem mais de 4 anos porém só vi agora...queria saber se o filme tem o mesmo nome do seriado épico que é TLW . abraço Alec .

Post a Comment



Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

Licença Creative Commons
A obra "A Fábula Inacabada" de Alec Silva foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Partilha nos Mesmos Termos 3.0 Não Adaptada.
Com base na obra disponível em afabulaoficial.blogspot.com.
Permissões adicionais ao âmbito desta licença podem estar disponíveis em http://afabulaoficial.blogspot.com/.

Outros Textos Meus

divulgar textos | publicar artigo