Blogger Template by Blogcrowds

.

Olá!
Nova parceria!
 Desta vez recebi a aliança fantástica de Kmila Zaoldyeck (eita nome difícil, moça!). Ela também é escritora de alta fantasia (High Fantasy para os mais conhecidos), assim como eu (na verdade, não sou 100% autor de AF).
Mas, vamos às informações sobre a jovem e sua obra, não?


Biografia da autora:
Nasceu Camila Cristina de Araújo no longínquo ano de 1991. Apaixonou-se perdidamente pela leitura ainda criança, e mais tarde, adicionou os animes, os lápis de cor e a escrita à sua lista de amores incondicionais. Tornou-se Kmila Zaoldyeck aos 14 anos, e não pensa em trocar de pseudônimo, não mais. Atualmente cursa Engenharia de Computação na Universidade Federal de Ouro Preto, escreve uma trilogia de high fantasy chamada Legend of Raython, uma antologia de contos Steampunk chamada As Crônicas de Chumbo,administra o blog Thunder's Empire e tem que aturar seu alter-ego Phyreon Thrower.

 
Sinopse:
Trilogia Legend of Raython
Livro I, Ethernia

         Você acredita em destino?
         Em duas pessoas que nasceram e cresceram em condições e lugares inversos...
         ... Se encontrarem e descobrirem que havia mais forças os unindo do que um simples acaso?
         A história de Raikou e Elektra começa assim. Ela, princesa entediada. Ele, empregado qualquer no império inimigo.
         Elektra resolveu sumir do mapa depois de uma das comuns brigas com seu pai. Não imaginara que iria parar justamente no território de Ethernia, império que está em guerra contra o seu há mais de quinhentos anos. Muito menos imaginara que encontraria Raikou, o insolente moreno de olhos azuis... Que se dispôs a ajudá-la, por motivos desconhecidos...
         Seu encontro foi apenas o começo dos fatos que mais tarde foram nomeados “A lenda de Raython”, ou Legend of Raython, na língua local.
         Pronto para começar a acreditar em destino?



 
Onde encontrar:




 Olá, gente! Tudo bem com vocês?
Passado o momento "Sabrina Sapo", vamos aos pontos da postagem, certo?
Acabei de ver em meus e-mails a confirmação da participação deste blog no Book Tour do Guardians Volume 1, de Luciane Rangel. Legal, né?
Mas, peraí!
Por que resolvi tentar participar deste book tour?
  1. Bem, pelo que vi, cada Guardião tem um signo zodiacal (lembra os deuses numiarianos).
  2. É mais uma parceria literária.
  3. É uma chance de apreciar a literatura fantástica nacional.
  4. Gostei das ilustrações.
  5. É mais divulgação para mim.
Por ora, é isso aí!
Sigam a autora no Twitter.
E confiram o livro no Skoob.



Como não tenho muito o que fazer (pura mentira), escrevi um artigo com 7 (+ um extra) argumentos que me fazem pedir ao escritor Eric Musashi, criador de uma série de livros que se passam na lendária Atlântida e arredores, em tempos antigos e perdidos, como a dualogia Os Herdeiros dos Titãs, para se arriscar a escrever histórias no universo de Cona e a Era Hiboriana que foram criados pelo escritor texano Robert E. Howard.

Seguem abaixo meus motivos:




Robert E. Howard se suicidou em 11 de Junho de 1936, ou seja, tem mais de 70 anos, o que torna as suas obras pertencentes ao patrimônio cultural público.


Eric Musashi é um grande fã do autor, vive ressaltando a influência que este teve sobre Tolkien, que é considerado um grande fantasista, e qualquer escritor é comparado ao inglês e a não ao texano.






Ao ler o primeiro livro de Eric Musashi e pesquisar sobre a escrita howardiana, notei a semelhança entre as ideias dos autores, principalmente no que diz respeito ao fato de ambos tratarem sobre épocas imemoráveis, civilizações degradadas e personagens dos mais variados tipos.








Eric Musashi assistiu ao novo filme baseado em Conan, de Howard, e elogiou a atuação do ator que interpreta o protagonista, enquanto várias críticas detonam. Por ser fã, a sua opinião pesa mais do que a de um crítico, pois fãs costumam ser exigentes.




No presente momento, Eric Musashi se encontra sem muitos grandes desafios de escrita e escrever sobre a Era Hiboriana, seja sobre Conan ou qualquer personagem seria um bom desafio, principalmente por ter uma escrita e ideias parecidas com a do autor texano.





O fator mais importante seria que Eric Musashi leu as histórias, não gostou muito do filme que Arnold Schwarzenegger, que me lembro vagamente, por não ter respeitado a história criada por Howard.







E, por fim, Eric Musashi é chamado de Robert E. Howard brasileiro por alguns amigos escritores, e agora por mim. Isto quer dizer alguma coisa, eu acho.










MOTIVO EXTRA: Estou louco para ler os contos howardianos, ver um bom livro de “espada e feitiço”, como O Senhor da Espada Feiticeira, de King Sherman, que li há um bom tempo. Eu poderia escrever, mas teria a mesma emoção.










O que achou?                               
Se gostou da ideia, mande uma mensagem para @ericmusashi com a hashtag #erichoward. Ou apenas comentem abaixo desta postagem.

Caso não haja ajuda de ninguém, sem problema, luto sozinho.

Gostaram da imagem acima?

Pois é esta a capa do segundo livro da pequena saga Os Herdeiros dos Titãs, de Eric Musashi, a ser lançado em dezembro deste ano, pela Giostri.

A Mão do Destino encerra as aventuras de personagens humanos e imperfeitos, numa terra antiga e conhecida atualmente por nós como Atlântida.

Uma obra que merece ser lida e apreciada.

Para mais informações sobre o primeiro livro, De lutas e ideais, leia minha resenha no blog Alec Silva & Outros Escritores ou visite o blog oficial da obra e participe também da promoção que sortea um livro por quizena.

Abraços.

          Imagine:
  • dragões
  • centauros
  • elfos
  • fadas
  • minotauros
  • gigantes
  • Yetis
  • humanos
  • autômatos
  • alienígenas
  • animais pré-históricos
  • magia
  • personagens históricos
  • zumbis
  • piratas
  • Deus
  • etc
Agora misture tudo isso numa série de 17 livros e o que teremos?
Acertou quem respondeu Adventura Ex Littera!

Sim, a série completa, com as três sagas, possui todos estes elementos fantásticos e um pouco mais.
Para exemplificar, vamos aos temas abordados até o presente momento nos 6 livros já escritos:

  • Pedras Elfo-Fádicas

Um homem do século 19 se vê às voltas com a magia e segredos antigos e que o fazem questionar a religião.
Vemos isso em obras que surgiram até meados do século passado, como nos romances de Júlio Verne, H. G. Wells e Bram Stoker.
Há também o tom aventureiro e crítico, comum em tais obras.

  • Diários Fairy-Stone
 
Um garoto descobre segredos e enigmas de sua família, desvenda câmaras antigas.
É um romance epistolar, todo em diário, cheio de aventuras típicas de crianças por quase 90% do livro, mas nos capítulos finais adquire um tom mais adulto.
Inspirei-me em livros que seguem o estilo de narrar em primeira pessoa, muito comum nos séculos anteriores.

  • Viagem ao Redor do Mundo

Relatos de viagens fantásticas pelo mundo, em lugares conhecidos e desconhecidos.
É a trama menos descompromissada da saga, mas com importantes passagens para futuros eventos, que já surgem no livro seguinte.
Descaradamente inspirado em Júlio Verne e outros autores de romances de viagens.

  • Mares do Oceano Desconhecido

Um romance no estilo aventura pirata (algo já presente no anterior), com ação alucinante e finalmente iniciando a trama central, em Numiária.
Inspirada em alguns livros que li sobre viagens em navios, como os de C. S. Lewis e Stevenson.

  • Numiária
 
Agora a aventura é mais marítima do que antes, com direito a descida a um reino submerso.
Óbvio que Júlio Verne predomina por aqui, mas também há espaço para mais coisas de romances piratas.

  • A Era Efêmera
 
Os protagonistas já sabem sobre a grande tarefa que têm pela frente e a abraçam.
É a partir daqui que a saga ganha o fôlego até o nono livro, com muita mistura de referências literárias e mitológicas, com direito a elefantes colossais, autômatos, fantasmas e criaturas do deserto.



Portanto, o mash up fantasy é misturar tudo que é fantástico e criar uma obra muito louca.

Numa aventura pela Internet, encontrei este trailer de "John Carter", que será lançado pela Disney em 2012.
Como sou fã de tudo o que é fantástico, apresento a vocês:



Enredo:

O filme é baseado na história de de John Carter, Um Príncipe de Marte, que foi serializado em 1912 e publicado como um romance em 1917. Carter é um veterano da Guerra Civil Americana, que vai dormir em uma caverna depois de ser perseguido por índios apaches e acorda em Marte, aqui chamado Barsoom. Anteriormente, um mundo parecido com a Terra, tornou-se mais hostil à vida, devido à sua idade avançada: como os oceanos evaporadso e a atmosfera afinada, o planeta transformou em barbárie com os parciais de habitantes endurecido e guerreirista, lutando entre si para sobreviver. Barsoomians distribui escassos suprimentos de água através de um sistema mundial de canais, controlada pela disputa da cidade-estado. A atmosfera marciana é mantida por uma usina. Carter resgata um humanóide, princesa de Marte, Dejah Thoris, a partir do beligerante quatro braços verdes marcianos, cujo respeito ele ganha a sua força superior e capacidade de luta. Ele pede que os marcianos verdes "ajudem na conquista de uma guerra civil".

Hoje, como faço periodicamente, faço uma postagem coletiva, ou seja, que poderá ser lida em todos os blogs que tenho.

No dia 3 de setembro de 2011, no meio de uma conversa pelo Google Talk com Celly Monteiro, minha querida Fantasista, que fora regada a spoilers e ameaças de morte (não pelos spoilers, mas pela minha ousadia de criar uma personagem... NADA de contar o enredo!!!), lancei um desafio a minha Capitã.

O desafio para ela:
Escrever um livro completo (romance, novela, coletânea de noveletas) em um prazo de 1 ano.

O desafio para mim:
Reaprender a desenhar (eu sabia, mas me desleixei bastante) no mesmo período.

Para início do desafio, optamos o dia 4 de setembro deste ano, finalizando no dia 4 de setembro de 2012 (o ano que o mundo vai acabar).
Agora, eu sou o padrinho dela e ela é minha madrinha.

Agora, façam as suas apostas, torçam contra ou a favor.

Postagens mais recentes Postagens mais antigas Página inicial

Licença Creative Commons
A obra "A Fábula Inacabada" de Alec Silva foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Partilha nos Mesmos Termos 3.0 Não Adaptada.
Com base na obra disponível em afabulaoficial.blogspot.com.
Permissões adicionais ao âmbito desta licença podem estar disponíveis em http://afabulaoficial.blogspot.com/.

Outros Textos Meus

divulgar textos | publicar artigo