Blogger Template by Blogcrowds

.

Um personagem que só dá as caras no último livro, mas que é crucial em toda a trama.

Johnny Depp com certeza!

Uma das herdeiras da Casa Principal, princesa elfo-fada.


Teresa Palmer ficaria com o papel.

Uma barda que auxilia o grupo de aventureiros a invadir o Templo de Amistechyx.

É uma elfa delicada e poderosa, descendendo do único sobrevivente do massacre promovido por Fringhork.
Eu penso na Marjorie Estiano. Que tal? Ela é cantora e atriz...

Meia-irmã do Capitão Hung Shai, é uma artemaga que vê no pirata a família que nunca teve, fazendo qualquer coisa para agradá-lo.

Por usar execessivamente seus poderes, possui uma grave doença.

Daniele Suzuki, certo?! 

Tudo bem, ela descende de japoneses, mas tem lá alguns traços bem exóticos... haha

Dragão-libélula, criação minha,
segundo visão de Jorge Rafael.

A única raça de dragões totalmente inofensiva, presente exclusivamente nos penhascos das Ilhas Abismais.

Criaturas facilmente domesticáveis, os dragões-libélulas são animais de montaria preferidos das casas, sobretudo as de Myh e de Whauel, por serem dignos da nobreza. É comum ainda serem usados por caçadores, pois são extremamente ágeis no ar, realizando complexas manobras áreas.

A sua aparência é de um lagarto, como é observado na maioria dos dragões, porém com asas transparentes e resistentes, em dois pares, lembrando as de uma libélula, escamas brilhantes e multicoloridas. Apesar de ictiófagos, há registros de uma alimentação rica em frutos, insetos grandes e aves marinhas em tempos de procriação. Ovíparas, essas criaturas põem de oito a quinze ovos de vinte centímetros, alongados, que são chocados apenas pelo calor solar, processo que pode levar cinco meses no verão e onze meses no inverno. Os ninhos são construídos em buracos rasos nas encostas, forrados com algas e folhas de palmeira.


Minha inspiração.
Nas Ilhas Abismais há dezenas de colônias desses animais, sendo que cada colônia possui até trezentos indivíduos.

Canório, criação de Hayane de Souza,
 segundo visão de Jorge Rafael.

Embora pequeninos, são seres muito perigosos, capazes de grandes confusões, como os diabretes.

Os canórios são criaturas do tamanho de um ovo de galinha, com rabos compridos, com trinta centímetros de comprimento, corpo oval e coberto por pequenos espinhos. Possuem membros locomotores maiores do que o proporcional ao seu corpo, o que permite grande agilidade na locomoção em geral. Quando filhotes, têm uma coloração cinza metálica; ao chegarem a fase adulta, adquirem o dourado metálico. Costumam viver em grupos de mais de mil indivíduos.

Essas criaturas pequenas se reproduzem de forma muito peculiar: os machos depositam o sêmen num pequeno orifício na barriga das fêmeas, que uma semana depois liberam ovos transparentes, que flutuam por três dias no ar até eclodirem os filhotes.

São perigosos durante a noite, pois alimentam-se de calor gerado pelo fogo, comendo literalmente as chamas, fazendo-os brilharem como vagalumes. Por serem ignófagos, são vulneráveis a água, que em grande quantidade pode matá-los.

Por serem atraídos pelo fogo, costumam ser confundidos com as salamandras por indivíduos de pouco conhecimento acerca das criaturas vivas numiarianas.

Antes de mais nada, minhas fadas e elfas terão as características das ciganas e orientais de nosso mundo, a começar pela dança!
Motivos: eu curto a dança do ventre!!





TRECHO:
         "(...)

Diante de si, a cem metros, uma visão possível apenas na literatura fantástica se desenrolava: dez jovens belos, de pele pálida, cabelos longos e dourados, trajando túnicas leves e longas, sentados sobre enormes pedras, rodeando dez donzelas que dançavam um pouco acima do solo.
(...)
As dez donzelas que bailavam a dez centímetros acima do gramado, descalças e sem nenhum pudor, eram lindas, trajando vestes muito parecidas com vestidos, feitos de um tecido transparente, em várias cores, em camadas sutis. Elas balançavam os braços, ondulando as tiras do pano que era feito as vestes, sacudindo varinhas feitas de carvalho, entalhadas com toda a perfeição, representando flores e pequenos animais.
 (...)
As jovens dançarinas estavam entregues aos sons dos instrumentos musicais, ora girando sob o próprio eixo, ora dando saltinhos no ar. Os cabelos de cada uma delas, que chegavam quase aos calcanhares, em tranças únicas, serpenteavam um magnificamente.
(...)"
 (Pedras Elfo-Fádicas)

Era Dourada:
Da criação do mundo ao surgimento das Doze Casas. (?? - 1187)

Era das Doze Casas:
Do ano 1 ao ano 600. (1188 - 1687)

Era Breve das Treze Casas:
Do ano 601 ao 702. (1688 - 1789)  

Era do Reinado Sombrio:
Do ano 703 ao ano 811. (1790 - 1898)

Era Efêmera:
Durante ano 812. (1899)

Era Gloriosa:
Do ano 813 em diante. (1900 - ??) 

Irmão de María, é um grande inventor, sendo dele o Desbravador.


Bento Ribeiro?!


Sim...

Jovem mexicana que se une ao grupo de Thiers após ser salva por ele, Hubert e Daniel. Possui um dom bem louco, que não vou revelar para não estragar a graça!

^^


O papel seria de Michelle Rodríguez!!!

xD

Uma criatura amazônica que tem a forma de uma mulher, uma indígena, só pode ser Vanessa Giácomo!

^^

Aliado de grande importância dos Fairy-Stone, um dos mais poderosos artemagos de Numiária.


Anthony Hopkins ganharia o papel!!

Um dos aliados da Feiticeira Indiana.


Ralph Fiennes!!

Artemago que aparece rapidamente no segundo volume, mas que tem um papel vital em O Conto de Hildebrand.

Gary Oldman?!


Eu sei que ele fez Harry Potter, mas e daí?

 Aqui está as primeiras 10 músicas que farão a trilha sonora de "A Fábula Inacabada":

Fairy Tale (Shaman)

Imaginary (Evanescense)

Sweet Dreams (Marilyn Manson)

Lost Love (Enzo Carlino)

My Inmortal (Evanescense)

Nothing to Say (Angra)

Turn Away (Shaman)

Destiny (Galdson)

The Dreamer's Overture (JT Bruce)

Legends (Galdson)

Princesa fádica da Casa mais importante de Numiária...

Claire Danes tem o perfil básico para o papel...

Arqui-inimigo de Capitão Vaz.


Jet Li?! Pois é...

Uma tritânida que auxilia o grupo de aventureiros teria que ter o semblante de Mariana Ximenes!!


^^

Antes de tudo, nunca fui fã da História Sem Fim! Nunca gostei e nem vou gostar, muita enrola e pouca ideia... Assisti os filmes e os desenhos, mas nunca entendi nada...

Então, por que cargas d'águas escrever uma FÁBULA INACABADA, então, meu caro?!

Como bom fã da fantasia em geral, eu tenho uma ânsia por ideias fantásticas, novas e estranhas. 

A ideia para A Fábula veio do nada, sem um enredo pronto, apenas o título. Era para ser uma história infantil, sobre o rapto de deuses da primavera. Depois mudei para uma história de dois irmãos que procuravam o final de uma história narrada pelo pai, que morre sem terminá-la.

Mas, aí veio a questão: "Por que ser tão comum e simples, se eu posso tornar esta história ainda mais complexa? Por que não fazer algo mais além de uma busca?"

Bem, a trama ampliou-se a tal grau que iniciei a saga com o pai dos gêmeos, um homem comum e vitoriano, que teme a Deus, mas de repente se vê envolvido numa teia mágica e macabra. Aí ele resolve buscar respostas...

Ou seja, a trama tem um prólogo, uma introdução, não vai logo para a trama central, que aparentemente é a busca pela fábula incompleta. Será uma jornada de descobertas para todos, por isso eu pretendi apresentar os personagens, a trama aos poucos...

Graças a Deus (pareço agora o Sr. Wagner Wald Fairy-Stone), meu amigo escritor e designer Diego Alves me aconselhou a escrever A Fábula e não outras 4 obras que estavam na reserva! E assim nasceu a saga mais esquisita, onde eu misturo fantasia, steampunk, dark fantasy, suspense, aventura, romance e tantas referências a contos de fadas e grandes clássicos da literatura mundial, como as obras de Júlio Verne, Bram Stoker, Monteiro Lobato e Robert Louis Stevenson, só para citar as obras que eu curto mais.

O resultado é uma saga que poderá ou não ser bem vista pelos leitores, mas quer saber? Tudo bem. O importante é tentar!

^^

Rico, inteligente e visionário, o jovem Sr. Wagner Wald Fairy-Stone tinha uma vida perfeita na sociedade vitoriana do século XIX, porém mudanças o aguardavam após se casar com a bela Cassia Saint-Floire.

Depois de perder uma menina, a Sra. Saint-Floire Fairy-Stone dá a luz a gêmeos, Thierry e Thiers, morrendo logo em seguida, alegando ver um demônio em forma de tigre. O episódio obriga o viúvo a lembrar-se de um antigo sonho que o perseguia quando criança e a buscar respostas no passado misterioso de sua família.

Com a ajuda do cunhado, o aventureiro Elie Saint-Floire, o Sr. Fairy-Stone parte numa jornada em busca de objetos mágicos conhecidos como Pedras Elfo-Fádicas, vivendo uma aventura fantástica e que irá determinar o futuro de seus filhos.

A introdução de uma saga colossal, de uma aventura imprevisível e cheia de emoção, escrita de maneira a resgatar a magia dos contos de fadas e dos grandes clássicos da literatura mundial. 

Imagine uma feiticeira poderosíssima, cruel!!


Imaginou?

Imagine que possa assumir a forma de uma mulher sensual!

Angelina Jolie, certo?

Mãe de Hubert, esposa de Elie, com quem tem uma filha, Eve!

Malu Mader seria perfeita!

Esposa de Wagner, mãe de Thiers e Thierry!

Paola Oliveira, né? Eu acho que seria perfeita!

Irmão de Cassia, ajuda o cunhado na busca pelas Pedras Elfo-Fádicas!

Colin Farrell ficaria bem no papel!

O CONTO ABAIXO FOI ME CEDIDO POR HAYANE DE SOUZA, UMA ESCRITORA DE DARK FANTASY DE MINHA CIDADE.
SERÁ UM VOLUME A PARTE.


O Templo de Amistechyx já fora um lugar muito povoado.
Com tribos de várias etnias envoltos em fogueiras, dançando conforme suas regiões cultuavam.
 Ali, a natureza inspirava e aspirava salubridade.
Tudo era em perfeita harmonia.
Até que Fringhork chegou, destruindo tudo o que viu pela frente.
As mulheres foram estupradas impiedosamente.
As crianças não tinham um fim um pouco pior: eram postas em jaulas como simples aperitivos para os douncearks.
Os homens, ou seja, os guerreiros da ilha eram mutilados e tinham sua carne degustada pelos sátiros de Fringhork
E assim ele acabou com tudo que Amistechyx, durante séculos, levou para construir.
Amistechyx tentou contra-atacar, mas infelizmente já não possuia o vigor de antes para combater a altura.
E nem muito menos seus homens eram bem treinados para ataques surpresas como aqueles de Fringhork, que também tinam os douncearks ao seu favor.

Capitão de uma tropa marinheira, rude e romântico, misterioso?


Só pode ser Russell Crowe!!!

Esta é a cor dos olhos dos gêmeos, uma característica que todos os Fairy-Stone têm...

Um dos adversários maiores da trama, o fundador da Casa Élfica de Fringhork. É o único elfo-negro que participou na Criação.


Bem, eu daria o papel para Richard Roxburgh (sim, o Drácula, eu sei, mas ele tem o perfil do meu personagem ^^)!

Postagens mais recentes Postagens mais antigas Página inicial

Licença Creative Commons
A obra "A Fábula Inacabada" de Alec Silva foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Partilha nos Mesmos Termos 3.0 Não Adaptada.
Com base na obra disponível em afabulaoficial.blogspot.com.
Permissões adicionais ao âmbito desta licença podem estar disponíveis em http://afabulaoficial.blogspot.com/.

Outros Textos Meus

divulgar textos | publicar artigo